Cuidado com as promoções!

A propósito da Black Friday da semana passada, escrevi a Crónica de Poupança no EXPRESSO sobre os cuidados a ter com as promoções. Os avisos valem igualmente para os SALDOS que aí vêm.

Faça bem as contas antes de comprar

Passámos por mais uma Black Friday e, que eu me lembre, foi a que teve mais adesão por parte das empresas nos últimos anos. Quase parecia que todas as lojas do país tinham aderido

PEDRO ANDERSSON/SIC

A publicidade e o frenesim à volta deste dia (que por vezes se prolonga pelo fim de semana) tem vindo a crescer, muito por iniciativa das próprias marcas. Tudo o que gerar vendas é bem-vindo. Há pessoas que ficam à espera destes dias específicos para fazer determinadas compras. Mas será que vale mesmo a pena?

Não tenho dúvidas de que em alguns casos valerá a pena – e muito. Mas tenho visto tantos casos relatados e têm-me chegado por mensagem tantos casos de pessoas que se sentiram enganadas que acho que vale a pena alertar mais uma vez para o engano de algumas promoções.

Mais caros em promoção?

mw-860

Há registo de casos de televisores que, com os descontos da Black Friday, estavam 600 euros mais caros do que algumas semanas antes com outros descontos. Outros em que pagaria na sexta-feira “negra” mais 200 euros do que custava antes da promoção.

Este ano a DECO lançou uma aplicação, Black Friday ou Black Fraude?, em que basta inserir o link do produto ou a loja e o modelo e tem a variação do preço dos 30 dias anteriores. Há diferenças de 1300 euros no mesmo televisor de uma semana para a outra. Também tem o KuantoKusta, que bateu recordes de comparações online nestes dias, e tem também outros comparadores.

Isto quer dizer que os consumidores estão cada vez mais atentos a estes detalhes e já não se deixam levar tanto pelos 70% de desconto que afinal equivalem a 10% ou 20%. Ou, em certos casos (teoricamente), a desconto nenhum. Nos casos de produtos tecnológicos é fácil fazer esta comparação, porque é exatamente o mesmo produto.

Mas fui a um grande centro comercial na tal sexta-feira e entrei em algumas lojas de roupa, por exemplo, e estava tudo a 20%. Nestes casos não tenho termo de comparação em relação aos preços. Posso ser facilmente enganado. A única forma de um consumidor se defender é ter a noção exata de quanto é que custa o produto que quer e acompanhar os preços durante algumas semanas (e de preferência comparar ao longo desse tempo em várias lojas) e anotar no telemóvel por exemplo ou tirar uma foto aos preços). As compras por impulso não são boas conselheiras da sua carteira.

20% pode não ser um bom desconto

Fez-me confusão tanta gente a comprar “só” porque estão com 20% de desconto, quando daqui a umas semanas as mesmas lojas vão estar em promoções e saldos com valores superiores a estes 20%. A menos que precise desses produtos agora. Aí claro que pode ser uma boa compra.

Não se deixe enganar pelas “Black Friday” ao longo do ano: os dias sem IVA ou 20% em talão de várias lojas. Já me aconteceu esperar por um desses dias sem IVA e quando fui para comprar a máquina de lavar, a máquina que eu queria estava mais cara com o desconto do que noutra loja concorrente sem o desconto. Foi aí que percebi quantas pessoas são enganadas por estas falsas promoções.

Comparar, comparar, comparar

Enquanto não houver uma forma legal de controlar e fiscalizar estas promoções, temos de ser nós, consumidores, a defender os nossos direitos. A informação é a melhor arma. E fazer muitas contas antes de comprar. Não vejo outra maneira.

Se quiserem ler a Crónica diretamente no Expresso é só clicar AQUI.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *