Em caso de catástrofe esta é a mochila de emergência ideal

O post que coloquei sobre a mochila de emergência em caso de terramoto surpreendeu-me pela positiva. Já foi visto por cerca de 80 mil pessoas e partilhado quase 700 vezes.

O espectador Óscar Gouveia, como militar, está mais que preparado para estas situações. Partilhou comigo e por isso partilho convosco a visão de um profissional em situação de catástrofe. Aviso já que se colocarem tudo o que ele (e bem) aconselha, provavelmente não vão conseguir andar com ela às costas… Mas tirem ideias. Adaptem ao vosso caso. Não se esqueçam que esta mochila é pensada para sobrevivência em condições extremas e também para defesa/proteção. Faça uma adaptação para o modo “civil”, OK?

Aconselho vivamente a leitura apesar de extensa. Pode salvar-lhe a vida.

“Vi o seu post sobre a mochila para terramotos e considero que é um tema importante e que merece uma atenção especial. Tenho alguma experiência na área do prepping e vou-lhe deixar aqui algum do meu conhecimento.

A MOCHILA

A mochila não deve ser só para uma coisa (terramotos, cheias, incêndios etc.), deve ser multifacetada e cobrir as necessidades imediatas. Se quiser seguir a boa tradição portuguesa do “desenrascar” uma qualquer mochila podre de velha serve, pode é correr o risco de nos primeiros momentos a mesma rebentar as alças, rasgar-se, rebentar um fecho e acabar com o conteúdo espalhado por todo o lado ou ter de carregar a mochila na mão. Sendo assim, faça um pequeno investimento e compre uma mochila em condições. Uma mochila média de campismo serve bem, mas pessoalmente prefiro uma mochila do tipo Camelback, pois além de serem de boa qualidade trazem incorporado um sistema de hidratação (basicamente é um cantil flexível dentro das costas da mochila com um tubo para beber). Uma boa mochila também deve ter organização, não se esqueça que, como dizem os brasileiros, “vai estar com o cú na mão” e andar desnorteado a esgravatar dentro da mochila não ajuda. Se estiver a preparar algo para a família siga um plano mochila, algo que usamos nas Forças Armadas. Basicamente é assim, como as mochilas são todas iguais guardamos todos os mesmos itens nos mesmos compartimentos. Dessa forma, seja quem for que pegue na mochila sabe exactamente onde encontrar, por exemplo, o kit de primeiros socorros. Caso não consiga que todos tenham mochilas iguais também é fácil: do lado de fora da mochila preso com uma braçadeira plástica coloque um papel (plastificado claro) com o desenho da mochila e o que está dentro de cada compartimento. Não se esqueça: você vai estar aflito e isso vai-lhe facilitar a vida ou quem o encontre e tente ajudar.

ÁGUA

É vital que tenha água na sua mochila. Para que tenha uma ideia, o ser humano em condições normais deve beber no mínimo 1.5lt água ao dia, em esforço/pânico o valor duplica.
Seja qual for a catástofre, a desidratação debilitá-lo severamente e vai matá-lo em 3 dias. Como referi anteriormente, a mochila Camelback é ideal mas se não quiser gastar entre 100 a 400€ numa (sim são caras mas muito boas) pode muito bem comprar uma daquelas que os ciclistas usam e metê-la dentro da mochila que vai usar. Isso vai ser a sua reserva de emergência. Além dessa mochila deverá ter um ou dois cantis de 1.5l (são baratinhos na decathlon ou sportzone). Esqueça as garrafas de água, pois o plástico é fraquinho e basta um choque maior ou algo pontiagudo para rebentar e a água vai á vida. Os cantis são muito resistentes. Por fim, compre uma caixa de Puritabs que são pastilhas purificadoras de água. Se ficar sem a sua água pode recolher alguma de um cano roto, poça de água, lago etc.. Uma patilha por norma purifica 1,5lt de água, mas leia as instruções primeiro. Caso retire a água de um local muito suspeito recomendo que primeiro ferva a água e depois sim coloque a pastilha purificadora.

ABRIGO/PROTECÇÃO

Pode não parecer algo muito importante mas se ficar sem a casa vai ter de se proteger/abrigar de alguma maneira. Recomendo a aquisição de uma pequena tenda e quando digo pequena é mesmo pequena. Nada daquelas rodas de camião da Quechua, algo mais do género poncho tenda ou tenda individual mesmo se for uma família (vou-lhe deixar umas fotos exemplo no final). Inclua também sacos cama (daqueles fininhos que ocupam pouco espaço e pesam pouco), manta polar (também das fininhas) e uma manta de emergência (estas já são minúsculas por natureza porque vêem dobradas em tamanho A5).
Pondere a aquisição de um capacete pois podem haver escombros a cair por todo lado e mesmo com o pânico as pessoas tendem a ficar desorientadas e não ver por onde andam. Recomendo um capacete de escalada pois são resistentes, leves e confortáveis. Caso contrário pode usar um do ciclismo (pessoalmente acho inútil mas é melhor que nada) ou em despero de causa um capacete de mota o que pensando bem até nem é má ideia.

tenda de emergência

ÓCULOS DE PROTECÇÃO

Pó, pedras, fagulhas, podem saltar e ferir-lhe os olhos. Como tudo pode usar uns do AKI, ou comprar óculos balísticos tudo depende da carteira.

LENÇO/MÁSCARA

Lenço tipo Arafat (nome correcto Sheemah) ou máscara de protecção. Pode vir a precisar por causa do pó ou fumos. Eu pessoalmente tenho uma máscara de gás que comprei no Coisas mas já é material avançado e tem de ter algum conhecimento sobre filtros, manutenção etc..

LUVAS

Uma luvas grossas para proteger as mãos. Evita cortes, arranhões etc.

ROUPA

Inclua roupa quente preferencialmente uma camisolas polares pois ocupam pouco espaço e são quentes na mesma. Meias grossas, cachecol ou manga e, sem vergonhas, um bom par de ceroulas polares. Um daqueles conjuntos casaco/calça de plástico para a chuva também deve ser incluído. Roupa interior que por experiência própria deve ser de licra e o melhor mesmo é cueca de banho para os homens e fato de banho para as senhoras. Duram mais, lavam-se bem e secam rápido.
Recomendo que tenha um bom par de botas na mochila, porque andar descalço ou sandálias por escombros não é fácil.

KIT PRIMEIROS-SOCORROS

Não compre aqueles kit pré-feitos que se vendem nas lojas de desporto ou do Continente/Jumbo porque vai sempre faltar qualquer coisa! Faça o seu próprio kit e preferencialmente use uma caixa rígida para o guardar (pode ser um Tupperware desde que feche bem). O seu kit deve ter: Betadine (preferencialmente o de doses individuais); álcool; soro fisiológico; água oxigenada; pensos rápidos variados; compressas (se possível inclua algumas compressas com vaselina para queimaduras); ligaduras; vaselina; fita castanha; Bacitricina; tesoura e pinça. Recomendo também que inclua alguns medicamentos: ben-u-ron; aspirina e ibuprofeno.

COMIDA

Deve estar preparado para passar alguns dias “a pão e água”, pois dependendo da gravidade da catástrofe a ajuda pode demorar e não se esqueça: você não é o único “com o cú na mão”. Os “entendidos” referem períodos de 72H, eu pessoalmente faço a conta para 7 dias. Tendo em mente que não vamos andar com a lancheira atrás, recomendo a utilização de conservas mas esqueça lá as latas de chispalhada, feijoada à transmontana ou arroz de frango. Além serem horríveis, são caras e pesam muito. Em vez disso opte por latas de atum, têm muita proteína, são pequenas e leves tanto na mochila como na carteira. Dependendo do que come, faça a conta a uma ou duas latas de atum por refeição. Pode também usar latas de salsichas se bem que em termos de arrumação depois complica. Inclua também “comida de ataque” (energia), frutos secos (preferencialmente embalados em vácuo), barras de cereais/proteínas/energéticas. Inclua uma marmita de metal e talheres de metal daqueles tipo tropa (servem para comer e para fazer barulho se precisar de ser encontrado), em princípio o cantil deve trazer incluído um copo de alumínio que pode usar para ferver água/comida se necessário. Caso não traga compre uma daquelas cafeteiras mini na feira ou nos chineses. Sugiro também um pequeno fogão camping Gaz, fogão de emergência ou simplesmente uma garrafa de gel de fondue (pode usar a lata de atum vazia como assador).

LANTERNA

Preferencialmente de dínamo porque as pilhas vão-se gastar rapidamente e andar com pilhas de reserva ás costas é uma chatice.

CANIVETE/ALICATE MULTIFUNÇÕES

Pode ser usado em diversas situações.

CORDA

Pessoalmente uso paracord (cordão de páraquedas) pois é muito resistente e tem diversas aplicações. Pode usar o bom velho rolo de corda plástica dos chineses ou comprar uns metros de corda média numa loja de desporto.

MOSQUETÃO DE ESCALADA

Dois ou três nunca se sabe se vai precisar de ancorar alguma coisa. Para quem tem filhos pode fazer uma trela (sim uma trela, mais vale ter o míudo preso com trela do que perdê-lo), e prender a criança a si. Desse modo fica com as mãos livres e o miúdo não foge. O mosquetão deve ser preso ao cinto das calças que deve ser idealmente grosso. Nunca prenda o mosquetão às presilhas das calças ou à mochila, pois podem rasgar-se e lá vai a criança à vida.

APITO

Para pedir ajuda. Use o código Morse de SOS um apito longo, dois apitos curtos, um apito longo. Também funciona com a lanterna e algumas têm a função strobe que faz um efeito semelhante.

RÁDIO

Tem dois tipo: rádio para ouvir as notícias do que se passa e os walkie talkies. Estes últimos se tiver sorte pode ser que apanhem a mesma frequência dos serviços de socorro. Pode pedir ajuda mas deve ter em atenção que ao fazê-lo vai bloquear as comunicações deles, pois são rádios 2 vias, ou seja, só consegue falar um de cada vez.

DOCUMENTOS

Cópias dos documentos plastificadas são importantes. Uma boa ideia é ter os documentos importantes digitalizados e enviados para si mesmo no email. Assim mesmo que os originais se percam tem as cópias guardadas no servidor.

FACA/FACÃO

Pessoalmente considero que uma boa faca do mato deve fazer parte de qualquer mochila de emergência. Tem diversas utilizações e pode ser usado como defesa (no final explico porquê).

MACHADINHA

Este é mesmo opcional. Um pequeno machado pode ser útil especialmente se precisar de resgatar algum familiar que esteja preso, ou para abrir uma porta etc..
Bom isto é o básico do básico. Penso que não me esqueci de nada, mas existe muita coisa que se pode acrescentar. A minha mochila tem muito mais coisas, mas eu também sou um pouco mais hardcore. É importante reter que a criação da mochila depende da criatividade do utilizador e do que se pretende gastar. Pode fazer uma mochila com o tudo o que descrevi por menos de 100€ ou pode gastar 2500€ ou mais.
Não se deve esquecer de um pormenor importante, você não vai ser o único a estar “com o cú na mão” e da mesma forma que vai haver pessoas que tudo farão para o ajudar, haverá outras que não hesitarão em dar-lhe uma valente carga de porrada para lhe ficarem com o que tem. A título de exemplo, veja o que se passou no Haiti nas semanas seguintes ao terramoto quando a água potável começou a escassear. As pessoas mataram-se umas ás outras por uma garrafa de água. O desespero, a fome e a sede acabam com qualquer sentido de cidadania ou respeito que pela vida alheia que se possa ter. Com isso em mente, deve tomar precauções para se proteger a si e aos seus. Daí eu ter referido que uma boa faca do mato pode ser usada como protecção, se não quiser usar uma faca, um bom bastão de basebol também funciona. É uma situação extrema, mas tal como a mochila mais vale ter e não precisar do que precisar e não ter.”

Aprendi algumas coisas interessantes com este comentário do Óscar Gouveia. Espero que também tenha sido útil para si.

2 Comments

1 Trackback / Pingback

  1. O que fazer em caso de sismos?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.