Quer baixar o seguro do carro?

Então siga estas dicas. Provavelmente até já as conhece, mas é muito fácil esquecer-se de fazer isto TODOS os anos.  No ano passado renegociou o seguro do carro ou “deixou andar”? Então este ano está na altura de baixar o seguros do carro outra vez.

É o tema da crónica deste mês que escrevi na Revista VISÃO. Tem aqui o texto e o link no fim se preferir ler na VISÃO.

seguro do carro

Renegoceie os seus seguros todos os anos. Vale a pena

O seguro do carro é uma despesa que custa sempre pagar. E chega sempre nos meses em que dá menos jeito, não é? Mas já que é obrigatório, convém termos a certeza de que pagamos o menos possível pelo máximo de coberturas.

Vamos a um caso. Um amigo meu comprou um carro novo e optou por um seguro de danos próprios. Pagou no primeiro ano 426 €. Um ano depois, com a renovação, o aviso de pagamento do prémio subiu para 500 € (mais 74 €).

Mas ele já aprendeu a lição há muitos anos. Com ele, o seguro em vez de subir, desce todos os anos. Como? Simples: Todos os anos muda de seguradora.

Pesquisou, simulou, telefonou e conseguiu para exactamente as mesmas coberturas ficar a pagar 363 €. Uma poupança de 140 € face ao primeiro ano!

Ou seja, se nunca se mexer e se for pagando ano após ano sem renegociar, os preços vão subindo anualmente e o consumidor nem dá por nada. Paga e pronto. Mas não tem de ser assim.

Tem é de fazer o seu trabalho de casa. Primeiro, tem de saber claramente o que quer: Danos próprios ou de Responsabilidade Civil; com coberturas específicas ou só mesmo o básico obrigatório. Quer quebra de vidros?

Um mês antes de terminar o seu seguro actual, tendo definido o que quer, peça simulações a todas as seguradoras que conseguir (tradicionais e online) e em alguns mediadores ou corretores de seguros. Em alguns casos, há mediadores que conseguem descontos de 40%. Tome nota de todas as propostas e das coberturas incluídas.

E faça questão de dizer qual é a sua profissão e a empresa onde trabalha para saber se há algum protocolo vantajoso com alguma das seguradoras que consultou. Por exemplo, professores conseguem ter descontos adicionais numa determinada seguradora. E eu, só por ser jornalista no grupo Impresa (ao qual pertence a SIC), tenho um desconto “especial” noutra seguradora. É comparar. Bancários, advogados, profissionais de saúde, funcionários públicos ou até sócios de clubes de futebol podem ter direito a preços especiais e se não perguntar nunca saberá. Não se esqueça desta dica quando andar à procura de um seguro mais barato.

Com o melhor preço que encontrar, contacte a sua seguradora actual. Pergunte se cobrem a oferta que encontrou. Eles vão pedir-lhe essa simulação. Esteja preparado para a enviar para eles a analisarem.

Não tenha medo de mudar

Se não acompanharem o preço, mude de seguradora se estiver convencido de que é a melhor opção.

Mais uma dica. Depois de tudo isto – e só mesmo depois de tudo isto – é que pergunta se tem mais algum desconto se pagar por débito direto. Há seguradoras que ainda baixam mais um bocadinho.

E depois faça ainda outra pergunta: se tiver um segundo carro, seguro de recheio da casa ou multirriscos, questione que preços fazem se juntar o(s) outro(s) seguro(s). Em alguns casos, se mudar vários seguros num pacote para a mesma empresa ainda baixam mais.

Renegoceie os seus seguros todos os anos. Vale a pena!

Pode ler o texto original na Revista VISÂO Aqui.

 

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.