Uma explicação para os atrasos nos reembolsos do IRS e a resposta das Finanças

Como já perceberam há milhares de contribuintes que estão a estranhar ainda não terem recebido o reembolso do IRS.  Em muitos casos parece que o processo nem avança.

Tenho andado a investigar e cheguei a uma resposta de alguém que trabalha na AT mas não quer ser identificado.

Aparentemente, não há problema com o sistema informático. O que se passa é que os contribuintes que não confiaram nos dados pré-preenchidos pela AT e  eventualmente fizeram alterações estão a ver as suas declarações passadas a pente fino e aguardam a confirmação do cruzamento de dados das outras entidades. Não há erros nem divergências. Apenas aguardam a confirmação de que inseriram valores corretos.

Perguntei ao Ministério das Finanças se há problemas e se o contribuinte precisa fazer alguma coisa. A resposta é esta:

R: “No âmbito do procedimento de liquidação das declarações do IRS, a AT efetua diversos procedimentos informáticos ajustados em função do tipo de factos declarados pelos sujeitos passivos na modelo 3, os quais podem conduzir a que se verifique em algumas situações, uma dilação temporal maior entre a data da entrega da declaração modelo 3 e a respectiva data de liquidação do que a que se verifica em outras situações. Trata-se de um procedimento normal, que já se verificava em anos anteriores, e que , por si só, não é indiciador da existência de qualquer “problema” com a declaração do IRS, pelo que não é necessária qualquer ação por parte dos contribuintes.”

Era interessante saber se a maior parte dos “encalhados” de abril clicaram em “sim” para alterar ou visualisar os valores pré-preenchidos das finanças. Se sim, pode ser a solução para o “mistério”…

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.